Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

retalhos de sonhos

retalhos de sonhos

a nossa história (mais um cheirinho...)

Tomás olhou para ela. Sara tinha uma mágoa tão grande reflectida no seu olhar. Estava triste e cansada. Cansada de viver com medo. Cansada de viver prisioneira do seu destino. Do destino que ela própria tinha escolhido.

- Tudo começou na faculdade. À noite ia com as minhas colegas para o café. Brincávamos imenso. Sabes como é que é a vida de estudante... Numa dessas noites conheci um rapaz fantástico. Porte atlético, moreno, lindo mesmo. Fiquei toda vaidosa, porque no meio de todas nós, e tinha colegas bem bonitas, ele reparou em mim. Dirigiu-se a mim e perguntou-me se queria tomar alguma coisa com ele. Aceitei e a noite acabou no jardim perto da casa onde morava. Conversámos imenso e marcámos encontro para o dia seguinte depois das aulas. Geny )

Fomos ao cinema e depois demos uma volta pelo shoping . Passamos por algumas lojas de roupa um pouco mais cara e ele entrou. Comprou umas calças e outras peças e disse-me para escolher qualquer coisa que ele pagava. Claro que respondi que não, conhecíamo-nos à dois dias e nunca fui de explorar ninguém. Mas ele insistiu e referiu que dinheiro não era problema dele e que iria ficar muito triste comigo se não aceitasse a oferta dele. Comprei um vestido muito simples que gostei imenso. Depois fomos beber um café e começou então uma conversa de ilusão. Perguntou-me se não queria arranjar um emprego fora das aulas, porque ele também tinha um e conhecia gente importante que facilmente me arranjava um emprego bastante lucrativo. Logicamente que o dinheiro me fazia bastante jeito. Perguntei-lhe que tipo de emprego é que ele tinha onde me respondeu que era muito fácil bastava ir com gente importante a reuniões, porque as senhoras que ele acompanhava eram muito ricas e não gostavam de fazer negócios sozinhas. Como foi fácil iludir-me. Estudante, com pouco dinheiro e o trabalho não era difícil disse-lhe logo que talvez fosse interessante experimentar. A partir daqui foi um desenrolar de mentiras até que cheguei a um clube de streaper. As minhas colegas da faculdade já estavam um pouco desconfiadas, porque comecei a comprar coisas  de marca, mas eu tinha vergonha de contar a verdade e não sabia como voltar atrás. Já me sentia a afundar. Deixei de ser acompanhante, porque um dia ouvi uma conversa que supostamente não devia e esse cliente bateu-me.

- Nessa altura não fizeste queixa dele? Não foi o suficiente para teres medo e pôr um ponto final nessa vida? - perguntou Tomás que a escutava com muita atenção, num misto de revolta e dor ao saber dos pormenores da vida de Sara.

- Fiz, mas estas pessoas são influentes. E habituei-me a abrir a carteira e ter dinheiro para comprar o que queria. Já sei o que deves estar a pensar de mim...

- Sara...eu não sou ninguém para te julgar. Já basta a tua consciência. Mas porque é que fugiste? Podias ter pedido ajuda...Eu estava ali mesmo ao teu lado.

- Sabes um dia passei por aqui e comprei aquela casinha. Gosto tanto deste sítio. Pensava que conseguia afastar-me de tudo e esquecer...Mas não sei como ele descobriu-me e mandou aquelas fotos do clube onde eu trabalhava. Estou cansada. Quero ser livre! (Geny)

 

 

3 comentários

Comentar post